Cruzeiro aparece no ranking de homicídios com 24 casos registrados

02 DEZ 2019   |   Por Jornalismo  |   08:40
Foto: Reprodução

Para reduzir os homicídios no estado, o governo João Doria (PSDB) terá que resolver a equação da criminalidade na RMVale, que manteve a liderança da violência no interior, com 263 pessoas assassinadas de janeiro a outubro deste ano, maior número entre todas as regiões.

Com isso, a região tem 12,48 vítimas de homicídio doloso por 100 mil habitantes, a maior taxa de São Paulo e o dobro do índice estadual, de 6,51. Os dados são da SSP (Secretaria de Estado da Segurança Pública).

Também supera a média do interior (6,77) e está bem acima da de Campinas (7,63), a segunda maior do estado. Ganha ainda da capital (5,88) e da Grande São Paulo (6,65).

No final de junho deste ano, em entrevista a OVALE, Doria disse que a meta é reduzir a taxa do Vale para 10 até o fim de 2019.

Das 263 mortes de janeiro a outubro, 252 foram em homicídios dolosos (intenção de matar) e 11 em latrocínios (roubo seguido de morte).

Trata-se do maior número de pessoas assassinadas no interior do estado, bem acima da segunda colocada, de novo Campinas, com 236 assassinatos –225 por homicídio e 11 em latrocínios.

Na comparação com o ano passado, a violência está em redução no Vale, assim como no estado. O número de vítimas de homicídio caiu 8,67% em São Paulo, com 2.338 mortes contra 2.560. No Vale, a redução foi de 10,64%, de 252 vítimas fatais contra 282.

Os latrocínios caíram 32,48% no estado (158 ante 234) e 39% no Vale (11 contra 18).

Outros crimes também caíram na região, como os roubos (-17%), o roubo de veículos (-25%), o roubo de cargas (-7%), os furtos (-3%) e o furto de veículos (-15%).

CIDADES

Com maior número de assassinatos no Vale, São José dos Campos recuou 18% nas vítimas da violência, com 36 (34 homicídios e dois latrocínios) neste ano contra 44 (37/7) no ano passado.

Jacareí aparece em segundo lugar, com 30 vítimas de homicídio, mesmo número dos 10 meses no ano passado. Não houve nenhum latrocínio na cidade nos dois períodos.

Mortes violentas sobem em Caraguá e caem em Taubaté e Guaratinguetá

Terceira cidade do Vale com mais vítimas de homicídio e latrocínio (27), Caraguatatuba registrou aumento de 28% nas ocorrências de janeiro a outubro deste (27) contra igual período do ano passado (21). Na quarta colocação, Taubaté reduziu 16% os assassinatos, com 26 (25 homicídios e 1 latrocínio) contra 31 homicídios e nenhum latrocínio em 2018. Em seguida, aparecem Cruzeiro (24), Ubatuba (17) e Lorena (15), mesmo número de Guaratinguetá, que reduziu 57% o número de mortes na comparação com 2018 (35). “A queda geral é resultado do trabalho das polícias e da sociedade”, disse o coronel José Eduardo Stanelis, comandante da Polícia Militar.


Fonte: A GazetaRM

















Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.