118 anos de uma história que começou pelos trilhos da ferrovia

Experiências e desenvolvimento econômico advindo da ferrovia impulsionaram o surgimento de Cruzeiro

02 OUT 2019   |   Por Jornalismo  |   15:21
Foto: Acervo Museu Major Novaes
118 anos de uma história que começou pelos trilhos da ferrovia
Acervo Museu Major Novaes

O céu encoberto pela fumaça e o apito anunciavam a chegada de mais uma locomotiva. No relógio, os ponteiros marcavam 10 horas, era o momento de mais uma baldeação. O ir e vir de pessoas, os zumbidos das conversas, os reencontros, as mercadorias despachadas, tudo isso fazia parte do cotidiano da Estação Ferroviária. O local era muito mais que um terminal, era onde a população se reunia nos tempos livres.

“O trem era meio dia... começava meio dia... 10 horas começava 10 horas... Daí todo mundo ia pra estação pra ver o movimento que tinha na estação... o trem chegava do Rio, chegava de São Paulo pra embarcar Minas”, relatou o Sr. Marinho Fortes, ex-funcionário da Fábrica Nacional de Vagões, para a historiadora Cláudia Ribeiro que resgatou depoimentos de antigos moradores em seu trabalho de pesquisa.


Foto: Acervo Museu Major Novaes

Neste local de entroncamento férreo e de trocas de ideias, mercadorias e notícias que surge a cidade de Cruzeiro, com uma população formada por paulistas, mineiros e cariocas. As experiências propiciadas pela presença da ferrovia colaboraram para o surgimento do sentimento de pertencimento, hábitos e tradições que moldaram a cultura da cidade.

O ESTOPIM

O estímulo inicial que suscitou a sequência de acontecimentos, que ocasionaram o surgimento de Cruzeiro, foi a passagem, em terras cruzeirenses, no ano de 1873, da primeira estrada de ferro conhecida como Estrada de Ferro D. Pedro II, mais tarde chamada de Estrada de Ferro Central do Brasil, com o intuito de transportar os produtos para São Paulo e Rio de Janeiro. O segundo momento foi no ano de 1881, com o início da construção da Estrada de Ferro Sul de Minas (Estrada de Ferro Rio and Minas), inaugurada três anos mais tarde, que subiria a Serra da Mantiqueira, percorrendo as estâncias Hidrominerais e chegaria à cidade de Três Corações no Estado de Minas Gerais. O entroncamento das duas ferrovias propiciou o surgimento de uma estrutura comercial e espacial e consequentemente a cidade.