Em alta, Petróleo e aviões somam 68% das exportações da RMVale

Dois produtos combinados representaram 68% das exportações do Vale do Paraíba no primeiro semestre de 2019, com US$ 3,72 bilhões de um total exportado de US$ 5,50 bilhões. Os dados são do Ministério da Economia

10 JUL 2019   |   Por Jornalismo  |   09:36
Foto: Sergio Fujiki
Em alta, Petróleo e aviões somam 68% das exportações da RMVale
Aviões. Liderada pela Embraer, indústria aeronáutica do Vale é um dos maiores atrativos de recursos

A pauta exportadora da RMVale é cada vez mais dependente de dois produtos: petróleo bruto e aeronaves.

Juntos, eles assumiram 68% das exportações da região no primeiro semestre de 2019, com US$ 3,72 bilhões de um total exportado de US$ 5,50 bilhões. Os dados são do Ministério da Economia.

Durante o primeiro semestre do ano passado, petróleo e aviões acumularam US$ 3,41 bilhões em exportações de um total de US$ 5,05 bilhões, equivalente a 63% da região.

Sozinho, o petróleo e derivados representaram 41% das vendas do Vale ao exterior no ano, com US$ 2,2 bilhões.

O resultado significou alta de 10,33% ante o valor do mesmo período do ano passado, de US$ 2,03 bilhões, quando o produto foi responsável por 37,48% das exportações.

As aeronaves encerraram o primeiro semestre exportando US$ 1,48 bilhão, crescimento de 7% ante US$ 1,38 bilhão do mesmo intervalo de 2018.

O percentual dos aviões no total das exportações cresceu de 25,53% para 27%.

Na contramão, os veículos automóveis recuaram 26,26% no total exportado de janeiro a junho deste ano, com US$ 469,1 milhões contra US$ 636,2 milhões no mesmo período do ano passado.

O produto também perdeu participação na pauta exportadora do Vale, caindo de 11,74% no ano passado para 8,52% neste ano. Ainda assim, os automóveis asseguraram a terceira colocação entre os produtos mais exportados.

CESTA

No total, o comércio exterior do Vale depende de 10 produtos, responsáveis por 95% das exportações no primeiro semestre do ano, com US$ 5,24 bilhões.

O resultado representou alta de 3,74% comparado ao volume do semestre de 2018, de US$ 5,05 bilhões. Naquele período, a cesta de 10 produtos representou 93,34% do total.

Também fazem parte da cesta: reatores (caldeiras e máquinas), pasta de madeira, produtos químicos, máquinas (aparelhos e materiais elétricos), alumínio, obras de ferro e aço e trens.

EM ALTA

O crescimento mais acentuado do 'Top 10' se deu com os trens, que venderam US$ 51,7 milhões no primeiro semestre deste ano contra US$ 6,37 milhões em igual período de 2018, um aumento de 712%.

Os reatores, caldeiras e máquinas aparecem em seguida, com alta de 68%, passando de US$ 213,8 milhões para US$ 359 milhões.

A maior queda se deu com ferro e aço, que recuou 65%, caindo de US$ 233,5 milhões para US$ 82,5 milhões.


Fonte: OVale

















Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.