Após atentado com bomba, prefeitura de Taubaté volta ao expediente nesta quinta

Explosão nesta quarta-feira, que deixou copeira e guarda civil feridos, fez prefeitura encerrar expediente e secretário revela que pode mudar sistema de entrada no Palácio do Bom Conselho; polícia investiga o caso

06 JUN 2019   |   Por Jornalismo  |   08:54
Foto: Reprodução

Depois que uma bomba explodiu dentro do Palácio do Bom Conselho e feriu duas pessoas na manhã de quarta-feira, o governo Ortiz Junior (PSDB) deve reforçar a segurança e fazer uma triagem de entrada do prédio, que é sede da Prefeitura de Taubaté.

A bomba, que explodiu por volta das 11h50, deixou feridos uma copeira e um guarda municipal -- ambos com escoriações mais leves.

O barulho da explosão foi ouvido por toda a vizinhança do Palácio, que fica na região central. Servidores relataram medo e apreensão.

O artefato foi colocado dentro de um dos banheiros do andar térreo, destruindo parte da estrutura do cômodo e espalhando estilhaços.

Por se tratar de um local de acesso fácil para qualquer morador, a prefeitura deve iniciar em breve um processo de triagem e revista no acesso ao prédio e demais repartições públicas.

"A gente tinha uma ideia de que não queria fazer muita restrição de acesso das pessoas, até porque as pessoas procuram a prefeitura para diversos serviços. Mas eu já conversei com o prefeito e com o vice-prefeito e a gente vai ter que tomar algumas medidas como triagem, [revistar] pessoas com bolsa, uma série de medidas serão tomadas a partir de agora", afirmou o secretário de Segurança do município, Euclides Maciel.

É a quinta vez nos últimos anos que um dos departamentos da prefeitura é alvo de explosivos (leia nessa página).

APURAÇÃO

Após a explosão, a própria prefeitura evacuou o prédio e determinou o fim do expediente -- os servidores voltam ao trabalho às 13h desta quinta.

As duas vítimas foram resgatadas pelo Corpo de Bombeiros e levadas ao Hospital Regional. O guarda recebeu alta no período da tarde, enquanto a copeira ficou mais tempo em observação e foi liberada no início da noite.

Depois de análise inicial, agentes do Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais) fizeram uma varredura de três horas no Palácio, mas não encontraram novos artefatos -- a bomba que explodiu não seria caseira, e teria sido colocada em uma lata de lixo. A Polícia Civil já está investigando o caso a partir das câmeras de segurança.

Polícia Civil analisa câmeras de segurança para buscar suspeitos do caso

Logo após a explosão, Corpo de Bombeiros, Polícia Civil e Polícia Militar foram ao local, enquanto o prédio era evacuado. A investigação do caso ficará a cargo da DIG (Delegacia de Investigações Gerais) da Civil, que já no início da tarde ficou em posse das imagens das câmeras de segurança do Palácio para tentar encontrar suspeitos.

O banheiro onde a bomba foi colocada fica no andar térreo do Palácio, acessado por qualquer morador sem nenhuma revista.

"No sistema de segurança nós temos várias câmeras aqui na frente do prédio, e uma na portaria próxima ao banheiro", disse o secretário de Segurança, Euclies Maciel. "Vamos usar todos os meios possíveis para poder identificar", afirmou o delegado da Civil, José Antônio.

Em sete anos, Taubaté registrou cinco bombas em prédios públicos

Essa não é a primeira vez que um setor da prefeitura é atingido por uma bomba. Entre 2012 e 2014, foram quatro episódios registrados. Na última vez, cinco pessoas ficaram ferida no DSU (Departamento de Serviços Urbanos).

"Nas outras secretarias muito provavelmente foram funcionários, até porque eram banheiros que não são usados por munícipes. Não que a gente esteja acusando algum de fazer isso, mas os outros banheiros são acessos exclusivos para funcionários. Aqui [no Palácio] não", afirmou o secretário de Segurança, Euclides Maciel.

"A prefeitura se solidariza com as vítimas e espera que os autores deste ato criminoso sejam identificados e punidos", afirmou o governo Ortiz.


Fonte: OVale

















Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.