Wesley Safadão lamenta cancelamento do Bloco do Pimenta

Evento pré-carnaval barrado pela Justiça iria reunir mais de 10 mil foliões nesse sábado

18 FEV 2019   |   Por Jornalismo  |   09:32
Foto: Reprodução/Grupo Ocorrência 24h
Wesley Safadão lamenta cancelamento do Bloco do Pimenta
Foliões aguardando o início dos shows


O cantor Wesley Safadão se manifestou nas redes sociais após o cancelamento do Bloco do Pimenta, evento pré-carnaval que seria realizado na Um33, em Caçapava, neste sábado (17).

Por decisão da Justiça, o evento foi barrado por falta do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros (AVCB). Centenas de foliões aguardaram na fila para entrar na festa, que iria acontecer a partir das 15h, no pátio da casa de shows.

Safadão disse que havia divulgado que os convites para a festa já estavam esgotados e se colocou à disposição da organização do evento para se acaso o bloco acontecesse.

"Eu fiz alguns histories dizendo que a festa estava esgotada e tenho certeza que seria uma noite incrível, mas eu digo uma coisa para vocês, gente, tudo coopera para o bem. Se não foi para acontecer hoje é porque não tinha permissão de Deus", ele lançou ainda que "Eu disse para ele que estou à disposição. Se o pessoal do Bloco do Pimeta e se os outros artistas, enfim, se der certo para todo mundo, eu estarei à disposição para realizar os 10 anos do Bloco do Pimenta no próximo sábado. E quero deixar uma beijo a todo o público que estaria presente hoje [sábado]".

Além de Wesley Safadão, o bloco havia anunciado atrações como o grupo É O Tchan e Dennis DJ.

Justiça barra realização do Bloco do Pimenta

A decisão consta de que se o evento fosse realizado, os organizadores estariam sujeitos a multa de R$ 1 milhão por hora de descumprimento. A Prefeitura de Caçapava também foi citada para que impedindo a realização do evento, com interdição do local, sob pena de multa de R$ 300 mil por hora de descumprimento.A decisão do juiz João Costa Ribeiro Neto, da Comarca de Taubaté, acatou determinação da 2ª Vara Cível de Caçapava de proibir a realização do evento por falta de segurança e laudo do Corpo de Bombeiros.

Em um trecho do documento, o juiz alegou que "a segurança é grandeza de primeira ordem. Todos têm o direito de se divertir e aproveitar os momentos bons da vida. [...] Logo, a festa poderia realizar-se, se não fosse a falta de organização dos responsáveis pela sua realização, que não conseguiram demonstrar que o evento oferece a segurança que se espera em festas desse porte".

Atualização às 13h53 - O setor de comunicação social do Corpo de Bombeiros havia informado que tinha cumprido o seu papel legal e que o caso seguia via judicial. A decisão do Juiz destaca ainda, em outro trecho, que "a parte ré [organizadores do evento] não juntou documentos que comprovem o AVCB em seu favor. E, ainda que o faça, as irregularidades já constatadas impõem o cancelamento da festa. Há fundada dúvida quanto à estrutura do evento".

O evento carnavalesco iria reunir mais de 10 mil foliões e pouco antes das 15h muitos foliões já aguardavam do lado de fora da Um33 para o então início dos shows. A Rodovia Presidente Dutra registrava 9 km de congestionamento na pista sentido Rio de Janeiro, finalizando no km 133, acesso à Avenida Vereador Geraldo Nogueira da Silva, onde está localizada a casa de show.

Porém, por volta das 17h, a Polícia Militar divulgou comunicado oficial sobre o cumprimento da ordem judicial que havia cancelado a realização do bloco.

Contudo, às 18h28, na página oficial do Bloco do Pimenta no Facebook, a organização publicou que detinha de todos os documentos necessários para a realização do evento, inclusive o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros. (Confira a nota abaixo)

Logo após o comunicado, às 19h48, os organizadores publicaram o cancelamento do bloco e não informam posteriormente uma nova data para o pré-carnaval, bem como a situação dos foliões que compraram os convites.

Na manhã deste domingo, o Meon tentou contato telefônico com o Um33 e demais organizadores do bloco, mas não conseguiu localizar ninguém.

Público é disperso pela Polícia Militar

De acordo com relatos de pessoas que aguardavam na fila, assim que houve a confirmação de que não haveria mais o evento foliões teriam se revoltado e começaram a destruir grades de segurança que foram colocadas no local.

"A polícia começou a disparar contra o pessoal com muito gás de pimenta e bombas de efeito moral. Foi horrível, tinha gente de idade variada", disse uma pessoa que não quis se identificar.

A Polícia Militar não comentou o caso.





Fonte: OVale 

















Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.


RC PLAy