Metalúrgicos aprovam acordo para garantir investimentos na fábrica da GM em São José dos Campos

Cerca de 4.000 trabalhadores participaram de assembleia nesta quinta-feira

08 FEV 2019   |   Por Jornalismo  |   09:14
Foto: Samuel Strazzer/Meon
Metalúrgicos aprovam acordo para garantir investimentos na fábrica da GM em São José dos Campos
Cerca de 90% dos trabalhadores votaram a favor da proposta feita pela GM

Os trabalhadores da GM de São José dos Campos aprovaram nesta quinta-feira (7) o acordo para flexibilização de direitos apresentada pela montadora em troca da garantia de investimentos na unidade. A empres ameaçava fechar a fábrica em quatro anos caso a proposta de redução de custos não fosse aprovada.

Cerca de 4.000 trabalhadores participaram da assembleia, que teve início por volta das 14h30 --90% aprovaram a lista de 10 itens impostos pela empresa.  A fábrica de São José tem cerca de 5.000 funcionários. 

“Se não aprovassem as propostas, nós íamos perder o investimento. Eles[GM] não estavam blefando. [...] Por mais que seja uma faixa salarial mais baixa, tem muita gente desempregada. E isso vai trazer tranquilidade para a família. É muito ruim você vir trabalhar e não saber o que vai acontecer”, afirma Alessandra Verecki, 40 anos, funcionaria no setor de estamparia.

A proposta, que envolve outras nove questões, foi feita após seis rodadas de negociações com o sindicato dos metalúrgicos da cidade. 
Entre as medidas estão reajuste salarial zero em 2019, redução gradativa do adicional noturno e fim da estabilidade ao acidentado e com doença profissional para novos contratados, que seguiriram a legislação vigente e não mais o acordo coletivo. 

De acordo com o Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos, o acordo só será assinado se a empresa garantir o investimento que se propôs a fazer. "A assinatura do acordo está condicionada a vinda dos investimento. Nós fizemos um acordo em 2013 que flexibilizou direitos e a empresa não cumpriu com o investimento de R$2,5 bilhões. O sindicato só assina este novo acordo se tiver garantia dos investimentos aqui na fábrica," afirma Weller Gonçalves, presidente do SindMetal.

Veja o que muda para o trabalhador

1- Participação nos Resultados com revisão da regra de aplicação, com prevalência da proporcionalidade para quem não tenha trabalhado 180 dias no mínimo no ano de vigência do plano, a partir de 2020. Não entrarão nessa contagem as ausências legais, tais como licença maternidade, paternidade, férias individuais e coletivas, doação de sangue e outras a serem especificadas pela empresa, quando da redação do acordo coletivo;

2- Participação nos Resultados por três anos, sendo 2019 – R$ 7.500,00, excepcionalmente para este ano, sem o conceito de proporcionalidade. 2020 – R$ 12.694,00 acrescido do INPC de janeiro a dezembro. 2021 igual ao valor do ano anterior acrescido do INPC de janeiro a dezembro; a primeira parcela será paga no mês de abril de cada ano;

3- Data-base 2019 – sem reajuste salarial e o pagamento de um abono no valor de R$ 2.500,00. Em 2020, aplicação de 60% do INPC apurado de setembro/19 a agosto/20 e pagamento de um abono no valor de R$ 1.500,00. Em 2021, aplicação de 100% do INPC, apurado de setembro/20 a agosto/21;

4- Adicional Noturno – redução gradativa, sendo: a) Em março de 2019 passa a ser de 27%. Em março de 2020, passará a ser de 24%, e em 2021 passará a ser de 20%. Além disso, a partir de março de 2019 a hora noturna será considerada das 22h às 6h. Para novas admissões no complexo, a hora noturna será de 20%;

5- Horas extras – exclusão dos limites de 29 horas no mês ou 275 horas no ano;

6- Complementação do auxílio previdenciário passará a ser de 60 dias, com aplicação uma única vez no ano civil;

7- Nova Grade Salarial para toda a unidade de São José dos Campos, com faixa inicial de R$ 1.700,00 a R$ 3.835,60 e progressão de 9 em 9 meses;

8 - Piso salarial de R$ 1.700,00 até 31 de agosto de 2019 e R$ 1.800,00 a partir de 1º de setembro de 2019, e a partir de 1º de setembro de 2020 será reajustado com o INPC do período de 1º de setembro de 2019 a 31 de agosto de 2020;

9 - Cláusula de garantia de emprego ao empregado acidentado e com doença profissional: manutenção da estabilidade aos acidentados e portadores de doenças ocupacionais para os atuais trabalhadores. Aos novos contratados, fica assegurada a legislação vigente;

10 - Renovação dos acordos de flexibilidade (escala patrimonial, domingo, jornada 12 x 36, jornada de terça a sábado, terceiro turno 6 x 1), inclusive o acordo das folgas anuais e DSR.



Fonte: Meon

















Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.