Polícia prende e apreende menos no Vale, enquanto taxa de violência cresce

04 JAN 2019   |   Por Jornalismo  |   09:41
Foto: Reprodução

As polícias Militar e Civil da RMVale prenderam e apreenderam menos no ano passado do que no período anterior.

De janeiro a novembro de 2018, as forças de segurança fizeram 8.505 prisões, queda de 5,62% na comparação com 2017, com 9.011 prisões.

É o menor número de presos desde 2011, quando os policiais prenderam 8.067 na região em 11 meses. De lá para cá, o recorde foi de 9.249 prisões em 2013.

O levantamento foi feito com dados oficiais da SSP (Secretaria de Estado da Segurança Pública).

A apreensão de armas de fogo caiu 4,50% na RMVale no mesmo período.

É o quarto ano com queda no indicador considerando o intervalo de 11 meses.

No ano passado, a polícia da região apreendeu 954 armas de fogo até novembro, contra 999 no ano anterior.

A apreensão de armas em 2018 é a segunda menor da série histórica da SSP, que retrocede a 2002.

Naquele ano, foram apreendidas 1.662 armas no Vale de janeiro a novembro, saltando para 1.860 em 2003, o maior da série histórica.

O número de ocorrências de porte ilegal de armas também caiu nesse período. No ano passado, até novembro, as polícias registraram 495 crimes dessa natureza, contra 512 em 2017, queda de 3,32%.

Na comparação com 2002, a queda é ainda maior. Naquele ano, até novembro, foram registradas 805 ocorrências de porte ilegal de arma.

Enquanto os indicadores de produtividade policial caem, a violência aumenta: 5,82% a mais em vítimas de homicídio nos 11 meses de 2018 ante igual período de 2017, passando de 292 para 309 mortos.

As vítimas de latrocínio (roubo seguido de morte) subiram 33,33%, de 18 para 24.

'Trabalho policial reduziu armas de fogo em poder de criminosos', diz SSP

Em nota, a Secretaria da Segurança Pública disse que o "ininterrupto trabalho dos policiais paulistas permitiu uma diminuição do número de armas de fogo ilegais que se encontravam em poder dos criminosos". Segundo a SSP, houve um aumento de 21% nas prisões na RMVale na comparação entre janeiro e novembro de 2008 e 2018.

"O menor número de armas de fogo apreendidas não está relacionado a eventual deficiência do trabalho policial, mas sim ao fato de que graças às ações e políticas implementadas no Estado, como a Campanha Nacional do Desarmamento".


Fonte: OVale

















Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.