Horas depois de ser dado como morto por três médicos, homem acorda

O detento Gonzalo Montoya Jimenez foi encontrado inconsciente em um presídio de Asturias, na Espanha, e os médicos disseram que viram sinais clínicos de morte

12 JAN 2018   |   Por Jornalismo  |   11:04

Por volta das 8h do último domingo, 8, o detento Gonzalo Montoya Jiménez foi encontrado inconsciente no Centro Penitenciário de Asturias, na Espanha. Os médicos foram chamados e, ao chegarem ao local, constataram: ele não tinha pulso. Ele foi dado como morto, seu corpo foi levado ao Instituto Médico Legal de Oviedo. As informações são do jornal El Mundo.

Os funcionários do local então começaram a avisar os familiares de Gonzalo sobre sua morte, que foi constatada por três médicos forenses. Neste momento, o corpo do detento já estava marcado com caneta sobre as partes que deveriam ser cortadas e examinadas. De repente, os médicos escutaram um barulho: Gonzalo estava vivo.

O homem foi então levado às pressas para o Hospital Universitário Central de Asturias em uma ambulância e, lá, foi tratado e "voltou à vida". A família de Gonzalo disse aos médicos que ele já teve ataques de epilepsia, e acreditam que a "morte" tenha algo a ver com isso. Por enquanto, o caso ainda está sendo investigado pelas autoridades.

De acordo com o La Voz de Asturiasrepresentantes da penitenciária disseram que ainda estão investigando o que aconteceu. Ainda segundo o jornal, os familiares acreditam que apenas um médico viu o corpo e os outros dois apenas assinaram o documento constatando a morte.

Fonte: Estadão

















Newsletter

Cadastre seu email e receba nossos informativos e promoções de nossos parceiros.